Segunda, 29 Janeiro 2018 12:28

Nervosismo e ansiedade marcam volta às aulas em escolas particulares

Escrito por CGNews
Avalie este item
(0 votos)

Algumas escolas particulares de Campo Grande começaram nesta segunda-feira (29) o ano letivo. A volta às aulas é marcada por muita ansiedade e pelas expectativas dos estudantes, alguns por serem novatos nesses estabelecimentos de ensino e outros por terem pela frente rotinas intensas de estudo visando o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).

Gabriel Victor Tocunaga Zambonini, 14 anos, caminhava de um lado para outro na calçada do Colégio Adventista da Capital, era evidente o nervosismo dele. Aluno novo na instituição, estava preocupado por ter se atrasado no primeiro dia.

“Mudei para essa escola porque alguns amigos da minha igreja estudam aqui. Eles têm entre 10 e 11 anos, da minha turma, não conheço ninguém”, disse ao Campo Grande News.

Ele estava esperando o pai trazer um documento que faltava para finalizar a matrícula dele e por isso não podia acessar a sala de aula. Gabriel já tem a carreira toda planejada: quer fazer agronomia para cuidar da fazenda da família. Este ano, como ainda está no primeiro ano do ensino médio, não pensa em fazer o Enem e vai se concentrar em sair bem nas provas e trabalhos.

A mãe dele, a empresária Sérgia Zambonini, foi acompanhá-lo no primeiro dia de aula. “Ele já estava nervoso e esse porém de chegar atrasado piorou ainda mais a situação dele”, afirma.

 

Decisivo

Júlia Foroni, 15 anos, estuda no Colégio Harmonia, que também inicia as aulas hoje. Ela ficou sem celular durante as férias e se emocionou ao reencontrar as coletas. Embora esteja no segundo ano do ensino médio, vai fazer o Enem para medir seu desempenho e isso a deixava bastante ansiosa.

“Meu pai tem investido muito em educação para mim e ainda tenho que decidir o que quero da minha vida”, diz. A jovem tem dúvidas se faz medicina ou economia, nesta última opção trilharia os caminhos do pai.

Deborah Pólvora, 15 anos, é novata no Harmonia. Ela vai começar o ensino médio este ano e trocou de escola pela qualidade do ensino, feito em turno integral. Assim ela acredita que terá mais chances de passar no Enem quando for o momento oportuno.

Muitas pessoas disseram a ela que os três últimos anos do ensino regular são difíceis. “Acho que vou conseguir me dar bem. Sempre gostei de estudar”, disse.

O pai dela, Enivaldo Pólvora, 57 anos, é advogado da União e apoiou a decisão da filha. “Ela escolheu mudar para essa escola porque tem o ensino bem mais puxado, além de ser bilíngue. Antes ela estudava somente a tarde, agora ela entra de manhã e estuda o dia inteiro. É bastante novidade para ela”, pontua.

Cotidiano – A maioria das escolas privadas retomam as aulas depois do carnaval, juntamente com as públicas. Mesmo assim, no entorno dos estabelecimentos que anteciparam o ano letivo o trânsito já ficou um pouco mais movimentado.

Dessa forma, os motoristas que trafegam por essas regiões devem tomar cuidado, já que nos horários de entrada e saída é grande o volumde de carros fazendo embarque e desembarque de estudantes.

Lido 39 vezes